segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Piscina com raia em casa?


Saiba o que é preciso para a construção de uma piscina própria para a prática de natação

Praticantes de natação sabem que para nadar não há nada que supere uma piscina com raia. A boa notícia é que é possível, sim, construir uma em casa e o melhor, sem precisar de muito espaço no terreno. Para sanar todas as dúvidas com relação à construção desse tipo de piscina, conversamos com Élio Daines Schneider, diretor da Igarapé Piscinas.
O primeiro passo é a definição do tamanho da raia, que deve levar em conta o espaço disponível no terreno. “Para uma piscina receber uma raia, é preciso que ela tenha no mínimo 10 metros de comprimento. Caso o morador queira uma com as medidas oficiais, são 25 metros na semiolímpica, ou 50 metros na olímpica. Por isso, o principal é verificar a medida que cabe no terreno. É ela que determina o tamanho máximo que a raia pode atingir”, explica Schneider.


Com relação ao estilo, o diretor explica que a piscina com raia pode se adequar a qualquer arquitetura. Além disso, ela também pode ser aproveitada para o lazer, não apenas para a prática do esporte. “As piscinas para natação podem receber estilos distintos do conhecido tradicionalmente em clubes e escolas de natação. O acabamento pode ser adaptado com pastilhas e azulejos diferenciados, por exemplo. Além disso, se o espaço permitir, é possível construir uma versão com uma ou mais raias e anexa a ela uma piscina redonda, uma prainha ou um SPA, para descanso e lazer da família e dos amigos”, acrescenta.
Outro fator importante na construção de piscinas para natação é marcação de raia no fundo, essencial para nortear o nadador durante as braçadas. Piscinas com duas ou mais raias podem receber também boias demarcadoras flutuantes, as quais facilitam a atividade física de um maior número de pessoas ao mesmo tempo. “Para evitar acidentes, a área da raia deve ficar livre, sem bancos ou escadas”, salienta Schneider.
Para a construção propriamente dita, é preciso estar ciente que existem duas modalidades recomendadas: construção com concreto e revestimento cerâmico (pastilhas de vidro, azulejos ou porcelanas) ou construção mista (alvenaria/concreto) com revestimento em vinil. “A versão com revestimento em vinil, apesar de mais barata, requer um cuidado maior, pois é mais sensível. Sua durabilidade costuma ser entre oito a doze anos, se todos os cuidados forem tomados. Já piscinas de cerâmica são menos vulneráveis e podem durar décadas sem necessitar de substituição do revestimento”, completa o especialista. Vale ressaltar ainda que os cuidados de tratamento de água em piscinas independem do formato, do tamanho e do tipo de construção.

Sobre a Igarapé Piscinas:
Com 20 anos de tradição, a Igarapé Piscinas ocupa uma posição de destaque no mercado paranaense, disponibilizando toda sua experiência para a construção de piscinas, spas, saunas secas e úmidas. Representantes de tecnologias de ultima geração no que se refere à automatização na limpeza física e ao tratamento químico de piscinas, a Igarapé atende aos mais exigentes projetos elaborados por arquitetos, engenheiros e construtoras, garantindo a execução da obra com respeito às normas de segurança da ABNT.

Contato:
Igarapé Piscinas
Endereço: Av. Mal. Humberto de Alencar Castelo Branco, 516
Telefone: (41) 3262-0013

 Crédito de texto e foto:
Virgínia Vargas - Assessora de Imprensa (41) 3325-3443 / 9611-2170 virginiavargas.assessoria@gmail.com